Defender a honra de Deus é defender o homem

Print Friendly, PDF & Email

Defender a honra de Deus é a condição absolutamente vital para o progresso do homem

“Pai, Filho e Espírito Santo – esse é o credo mais curto, um credo dado pelo próprio Salvador. É a mais alta revelação do Salvador e Seu maior dom de luz. Só Ele poderia dizer isso, pois “ninguém jamais viu a Deus a qualquer momento: o Filho unigênito que está no seio do Pai o declarou”. (João 1:18)

“É o epítome da salvação, o fundamento da fé, a âncora da esperança, a fonte do amor. É em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo que os filhos são batizados, os casamentos são solenes, os padres são ordenados, as igrejas são consagradas, os pecadores são absolvidos, as pessoas doentes são ungidas e os mortos são enterrados.

”Pai, Filho e Espírito Santo’ – esta Trindade em Unidade e Unidade na Trindade é o exemplo e primeira causa de toda a verdadeira unidade e concórdia, de toda comunidade florescente, de toda a paz autêntica.

“Quanto mais a humanidade se distancia do Deus Triúno, mais desesperada e incurável se torna sua desunião e conflito. Quando separado de Deus, todo vínculo de amizade, todo vínculo de amor, todo vínculo matrimonial, todo laço de povos se torna frágil e insalubre. Nossa comunidade humana depende de sua ligação com a Trindade, da unidade abrangente da Trindade.

“Todo o propósito e meta final de nossa comunidade e de toda a nossa vida não é outra coisa senão a seguinte: glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.

“Mas, vozes preocupadas nos dizem, e o bem público?

“A glória de Deus é o bem comum do povo.

“A glória de Deus é a salvação e felicidade da humanidade.

“A glória de Deus é a segurança do estado e a segurança da autoridade legítima.

“Se ao menos nosso mundo percebesse isso!

“Se ao menos entender as palavras do Senhor: ‘Buscai primeiro, pois, o reino de Deus e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas’  (Mt. 6:33).”

(Bishop Paul Wilhelm von Keppler (1852-1926), o sermão pregou no Katholikentag alemão em Stuttgart, 1925. Tradução: Rorate Cæli rorate-caeli.blogspot.com )