Etos ascético-místicos inacianos e missa tradicional em latim

Print Friendly, PDF & Email
AMANTES DA MASSA LATINA TRADICIONAL

Amantes do rito antigo porque para os inacianos a sagrada liturgia tradicional é o portal místico pelo qual eles passam para entrar em união com a Santíssima Trindade, “meu Deus”, “a força do meu coração [que] é minha para sempre” (Salmo 73)

Aqui é onde o coração místico do inaciano é formado através da entrada em união mais profunda com a Santíssima Trindade através do Corpo Místico de Cristo.

Aqui é onde seu coração se dedica ao heróico Coração de Jesus Cristo.

Aqui é onde sua admiração pela Verdade Divina, Bondade e Beleza incita sua decisão de criar minorias criativas para o alcance pró-convertido e a criação de uma alma católica na sociedade, até o reconhecimento de Jesus Cristo como Senhor da cultura, todos convergem, desenham inspiração, são revigorados.

Aqui é onde eles se tornam intimamente convencidos de que é para este último e profundo nível de realidade no qual eles entraram através da sagrada liturgia que eles devem dedicar suas energias para guiar o maior número possível de homens e mulheres a entrar.

Assim, passam novamente pelo portal para cumprir sua missão, fazendo da sagrada liturgia o centro, a cúpula e o coração de seus projetos e apostolados.

Promovido com dignidade, com amor, com beleza, primeiramente para que os católicos aprofundem sua identidade católica e se tornem minorias criativas para a criação de uma sociedade com uma alma católica, e segundo, para que se torne um imã para atrair não-católicos a Cristo.

IGNACIAS: ENVOLVEM A CRISTO CRUCIFICADO PELA MASSA TRADICIONAL

O inaciano concentra sua existência através do prisma da contemplação de Jesus Cristo Crucificado. Ele procura sempre alinhar sua maneira de ver o mundo, o tempo e a eternidade com a visão do Herói do Calvário, que contempla a humanidade através dos tempos da Cruz e chama a Si mesmo homens que prolongarão suamissão salvífica.

É sobretudo no Santo Sacrifício da Missa que ele realiza essa transformação do seu coração.

Pois o crescimento na união com Jesus Cristo ocorre através do Sacrifício e dos sacramentos, porque “tudo o que era visível em nosso Salvador, passou para os sacramentos” (Papa São Leão, o Grande).  É através da reconstituição do Sacrifício do Calvário que elereforça sua própria identidade cristã. Através da sua comunhão sacramental com o seu Senhor, a sua identidade como companheiro de armas do heróico Salvador intensifica-se. Com o “pão do viajante” ele adquire a força do forte para a guerra espiritual.

Vivendo intensamente o Santo Sacrifício da Missa como a reconstituição da paixão do Cristo Heróico pela salvação das almas no Calvário, o Inaciano se torna um homem de paixão: no amor apaixonado pelo Herói e com a disposição de ser um companheiro convicto de armas do herói, não importa as feridas sofridas durante a campanha.

Vivendo o Sacrifício, o Inaciano sabe que realiza o ato mais necessário para a edificação da Igreja e a salvação das almas.

E quanto mais ele penetra o significado da missa, mais ele entende o sacerdócio. Este fato é bem ilustrado por um biógrafo doCura d’Ars, São João Maria Vianney, em sua descrição da experiência de infância do sacerdote nas missas que ele freqüentou em meio à sangrenta perseguição dos católicos durante a Revolução Francesa de 1789:

“A perseguição começou. Os sacerdotes proscritos estavam escondidos. Eles receberam abrigo, um disfarce,provisões.As pessoas costumavam nomear locais secretos para a missa dominical – lugares secretos e distantes, com muita jornada à noite. Um celeiro fez para umaigreja,uma caixa de pão era o altar. Era proibido orar em voz alta, já que o padre arriscava o andaime e sua congregação as galeras. Foi realmentevale a pena ser cristão naquelesdias. Estasnão eram missas comuns que Jean-Marie ouviu.Foi o mesmo sacrifício, mas em seu mais alto valor, já que o dom do Sangue de Deus traz consigo o dom de si mesmo. “O que é um padre?” a criança consultou.  “Um homem que aceita a morte para permanecer um”. Obviamente, o sacerdócio era uma função muito alta e muito esplêndida – a morte certamente deu um significado mais amplo à vida ”.  (HenriGheon,O Segredo da Cura D’Ars)

Assim, o inaciano reconhece que o sacerdote deve ser, em um grau extraordinário, um cristão radicalizado pelo Supremo Sacrifício, pelo Sacrifício do Herói do Calvário.